Seguidores

terça-feira, 5 de julho de 2022

EXÍLIO TRISTONHO Lourdes Duarte


EXÍLIO TRISTONHO

Lourdes Duarte


Sempre há um amanhã na confusa vida terrena

Alguém parte, ou se vai, sem o canto de adeus

A saudade e a esperança de um reencontro

Alimenta a alma, de quem destroçado ficou.

 

Se tens que partir olha-me- ás um instante.

Deixa-me ser feliz mais uma vez, meu amor.

Foram dias contigo, que desejei não ter fim,

Para longe de mim partirás, meu querubim.

 

Deixa-me sentir o teu cheiro mais uma vez,

Inebriar-me nos teus braços e abraços,

Sei que a passos cansados caminharei

Longe de ti, até que nos encontre outra vez.

 

Do fundo do exílio tristonho e saudoso

Gritarei teu nome e lembrarei teu sorriso

Em busca da felicidade irei seguindo

Esperando o dia  do nosso reencontro.

 



9 comentários:

  1. Boa tarde de toda paz, querida amiga Lourdes!
    Alguém parte, ou se vai, sem o canto de adeus...
    Muito verdadeiro, amiga. Como nos entristece a falta de uma despedida digna. Sentirmo-nos um nada, um zero à esquerda.
    Vivemos um exílio tristonho e perde-se a alegria de viver.
    Nem o cheiro sentimos uma vez mais, doloroso é.
    Caminha-se a passos cansados, como você poetou sabiamente.
    É duro!
    Só nos resta esperar o dia do reencontro com fé.
    Muito me emocionou.
    Seja abençoada, querida.
    Beijinhos com carinho de gratidão e estima
    😘🕊️💙💐

    ResponderExcluir
  2. Linda, emocionante tua poesia e falaste tudo...Sempre, alguém parte, deixando saudades.
    Resta esperança reencontro! bjs, chica

    ResponderExcluir
  3. Um poema Belo mas tão triste!
    | Perdeu alguém? |
    -
    Obstáculos do caminho...

    Beijos, boa noite

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amiga Cidália! Graças a Deus não, mas me inspirei nas milhares de pessoas que se foram tão prematuramente neste trágico tempo de pandemia, de desastres naturais...Obrigada pela visita querida. Abraços.

      Excluir
  4. Tantos, tantos, que esta infindável pandemia levou.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Gostei do que li e recordei-me dessa quadra de Fernando Pessoa que dizia (cito de memória) " A vida / é um hospital / e morrer / é que é ter alta".
    Muito boa tarde!

    ResponderExcluir
  6. thank you for writing and publishing this article. this article is very interesting to read for me and very easy to understand and of course very useful

    ResponderExcluir
  7. Olá, professora e poetisa!
    Que seus dias sejam agora de encontros felizes!
    Poema bonito.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Um poema lindo, saudoso e emocionante, expressando os sentimentos de nostalgia e saudade por alguém que parte sem tempo para o adeus!
    Abraços fraternos!

    ResponderExcluir

Muitas vezes, a correria de nossas vidas nos impede de dar atenção ao que realmente vale a pena. Agradecer é uma das coisas que acabam ficando esquecidas nesta correria do dia-a-dia.
Pode ser por um simples gesto ou por uma grande atitude, mas o agradecimento nunca deve ser esquecido. Obrigada pela atenção e carinho e por ter vindo até aqui comentar minha postagem. Saiba que é importantíssimo para a valorização do que escrevemos.
Siga meus blogs, será um prazer lhe ter como seguidor (a)
Abraços, Profª Lourdes Duarte

http://professoralourdesduarte.blogspot.com.br/
http://filosofandonavidaproflourdes.blogspot.com.br/
https://lourdesduarteprof.blogspot.com.br/